Coragem para Mudar o Brasil

Coragem para Mudar o Brasil

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013


terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Ato político oficializa apoio do PPS ao PSB

O PPS é o novo partido a seguir na caminhada do PSB para discutir o Brasil. Em ato político realizado no Recife, o presidente nacional do PPS, deputado federal Roberto Freire, e integrantes do diretório nacional oficializaram a posição do partido ao governador de Pernambuco e presidente do PSB, Eduardo Campos. Com isso, o PPS passa a integrar a frente, que já conta com o Rede Sustentabilidade e o PPL.

Roberto Freire destacou que a decisão partidária foi tomada após um intenso debate, que culminou com o apoio da maioria da sigla para uma candidatura do PSB à Presidência da República. "Esse ato representa a unidade do PPS em torno dessa decisão. Temos companheiros de todas as tendências que anteriormente tínhamos, que discutiram as várias alternativas para cenários de 2014. O que o governador Eduardo Campos vem colocando como superação da atual etapa se identifica conosco, particularmente na posição quanto à gestão econômica", afirmou Freire.

"PPS e PSB são dois partidos históricos, duas forças que sempre buscaram a democracia, e que lá atrás contribuíram, inclusive a partir de movimentos no Recife, para encaminhar políticas nacionalmente. Não é para imaginar uma reedição, mas não estamos nos reencontrando no vazio. Este é um reencontro histórico. Éramos aliados históricos de um determinado partido, do qual nos afastamos em 2004, quando houve uma ruptura. Mas essa é uma etapa que temos que ultrapassar, e podemos estar ajudando uma força política a reescrever a história da política brasileira a partir de 2014", continuou o presidente do PPS. "Nós estamos aqui para dizer que o PSB pode contar conosco. Vamos contribuir com nossa tradição de formar frentes. Não é por tempo de televisão ou por termos uma grande estrutura. Na verdade, só não somos um partido nanico porque temos história, e essa história está a serviço agora da candidatura do PSB", completou Roberto Freire.

O governador Eduardo Campos classificou o encontro como um passo importante no sentido de construir uma campanha "que deve ser vitoriosa e que tem um sentido histórico". "A união dos nossos partidos não precisa de explicações. Em todos os momentos importantes da vida pública brasileira, estivemos juntos em todos os ciclos que vivemos nos últimos 30 anos - de construção da democracia, de estabilidade econômica e de inclusão social. Lamentei quando não contávamos mais com o PPS na base de apoio ao atual governo, mas entendemos as circunstâncias. A vida seguiu, tivemos papeis que couberam a cada um dos partidos e mantivemos intacta nossa relação de respeito, de companheirismo em torno de valores que são mais importantes que disputas eleitorais. Somos militantes da causa do povo, socialistas por convicção, com a capacidade de olhar ao horizonte, de pensar ao longo prazo as mudanças que ocorrem no Mundo. Nesse instante nos é dada uma nova tarefa, de fugir da polarização posta, pensar o Brasil numa narrativa a longo prazo, pensar o que queremos neste século. O Brasil tem pressa, o povo brasileiro demonstrou nas ruas a urgência dessas mudanças", afirmou Eduardo Campos.

"Não podemos amesquinhar e apequenar o debate político do Brasil. Precisamos do debate mais sério, mais profundo, que respeite a todos que vieram antes de nós. Não estamos para atacar quem quer que seja. Estamos para dizer que é preciso colocar o Brasil em debate. Não podemos interditar o debate no Brasil, patrulhar forças políticas que querem exercer o legítimo direito democrático de discutir economia, saúde, educação, mobilidade, qualidade de vida do povo, reforma agrária. Discutir e propor caminhos inovadores que façam impacto na vida do povo. Esse conjunto quer colocar em debate o Brasil. E o Brasil vai ter esse debate", ponderou.
"É hora de compreender que o pacto político que está em Brasília não expressa mais o pacto social que quer um Brasil Melhor. Todos no Brasil sabem disso. Esse pacto já deu o que tinha que dar. O que ele pode produzir para o futuro é muito pouco ou é retrocesso. A chegada do PPS neste momento reforça e traz para todos nós a confiança de que vamos seguir alargando essa frente, com identidade mantida, com nossos compromissos mantidos, no meio da sociedade, do povo, podendo construir a consciência de que o Brasil vai ter opção em 2014", concluiu o presidente nacional do PSB.

segunda-feira, 4 de novembro de 2013

PSB elege mais um Prefeito no RS

Dalvi Soares de Freitas (PSB) foi eleito prefeito de Dom Feliciano em eleição suplementar ocorrida neste domingo (03). O vice-prefeito é Zeno Rutikowski (PT). Eles obtiveram 4.616 votos (52,65% dos válidos) contra 4.152 (47,35) da chapa perdedora.

A totalização dos votos no município terminou às 19h42. Dom Feliciano possui 10.792 eleitores, distribuídos em 16 locais de votação.
Com 32 anos, o socialista era vereador em primeiro mandato e exercia o cargo de presidente da Câmara Municipal. Em agosto deste ano Dalvi assumiu a Prefeitura do município devido à cassação pelo TRE do então prefeito. 
A campanha eleitoral foi baseada na revovação, na gestão com compromisso com cidadão. Ao assumir interinamente a Prefeitura, sua primeira medida foi restabelecer o atendimento médico nas mais de 20 localidades do interior. É que mais de 70% da população é rural. Dalvi também recuperou as estradas municipais e fez uma auditoria nas contas da Prefeitura, que encontrava-se em dificuldades financeiras.
Distante 112 mil quilômetros da capital, Dom Feliciano possui  13.297 de habitantes.Além de Dom Feliciano, o PSB administra 18 prefeituras e possui 31 vice-prefeitos em todo o estado do Rio Grande do Sul.

No dia 20 de agosto deste ano, o TRE-RS cassou o mandato do prefeito, Claudio Lesnik, e do vice-prefeito, Ademar Hugo. Dois vereadores e um ex-vereador também perderam os diplomas e os direitos políticos por oito anos. Todos foram condenados por conduta vedada e abuso de poder político devido à realização de audiências públicas em 2012, que teriam prejudicado a campanha do candidato a reeleição no município, o ex-prefeito Clênio Boeira da Silva (PT), de acordo as investigações do Ministério Público Federal (MPF).

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

PRESIDENTE DA JUVENTUDE SOCIALISTA

O presidente da juventude do PSB do Estado, João Pedro Grill, esteve presente na décima edição da Festa da Reforma de Canguçu, no dia 31, em Canguçu. João Pedro ressaltou o elevado nível e qualidade dos corais e grupo de cantos que se apresentaram e a forma harmoniosa e conjunta das reflexões cristas pelos pastores luteranos. Ressaltou ainda a importância da data no calendário luterano.

VICE GOVERNADOR NA X FESTA DA REFORMA
O Vice-governador Beto Grill, participou da X Festa da Reforma Luterana, de Canguçu, promovida de forma conjunta pelas Igrejas Luteranas em comemoração ao Dia da Reforma. Na oportunidade Beto Grill, ressaltou a importância da data e cumprimentou os pastores, pastoras e os luteranos pela brilhante organização. O Vice-Governador Beto Grill na oportunidade recebeu dos pastores o livro – Cinco Minutos com Jesus – com reflexões cristãs diárias. Beto Grill disse que livro fara parte de seu cotidiano, ressaltando a necessidade e a importância da fé e da doutrina cristã em nossas vidas.

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

PSB quer a presidência da Câmara de Canguçu-RS

O PSB em sua reunião mensal, realizada na ultima sexta-feira dia 25, na Câmara de Vereadores, decidiu pelo lançamento do vereador Cesar Silva, o Cesar do Gás - a presidência da Câmara, para o ano de 2014. Na oportunidade foi escolhida uma comissão do partido, que manterá contato com as demais siglas e bancadas buscando o apoio necessário.

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Presidente local do PSB fala em programa de Rádio.

O Presidente do PSB de Canguçu, Nilso Pinz, foi entrevistado pelo radialista Jânio Soares no programa Show da Manhã nesta quarta-feira (23). Segundo Nilso o partido está cada vez mais estruturado. O começo do trabalho ocorreu em meados de Julho de 2011 e já no primeiro ano de trabalho conseguiu a eleição de um vereador, César Silva, o representante da sigla no Legislativo. 
As ações no estado e país do PSB, deixando os governos do PT, foi lembrado. O Presidente do PSB disse que é natural a saída do governo federal, por uma questão ética, pois o partido terá candidato a presidência com Eduardo Campos, já que o PSB não está nos governos por cargos e sim pelos programas de Governo. "No RS decidiram por seguir a normativa nacional", falou. 
Nilso Pinz disse que na esfera municipal o partido não saiu do governo, ficando em um primeiro momento. Ele lembrou que apesar de não ter ocorrido o cumprimento do acordo "Enquanto tivermos os mesmos pontos de mudança para o município devemos seguir, mas sabemos que ano que vem (2014) teremos candidatos diferentes (PT e PSB) e pode causar algum problema, assim como o PDT também que hoje está no governo municipal e terá candidatura ao estado contra o PT", disse."Todo o partido busca o partido, não se justifica um partido que a médio ou longo prazo não lance candidaturas a majoritária e que fique só a sombra de outros partidos", comentou.
O apresentador do Programa Show da Manhã, Jânio Soares, chegou a comentar que pelas palavras do presidente não demoraria muito a desembarcar do governo municipal. Nilso disse que a decisão será tomada pela maioria do partido. "O PSB de Canguçu tem uma sistemática que é assim: todos falam o que querem e se sujeitam a ouvir o que não querem", disse. Nenhuma decisão será tomada sem a participação dos filiados. Recentemente o PSB perdeu dois CCs no quadro da administração. Segundo Nilso mesmo com mais demissões de pessoas ligadas ao PSB o partido não deve desembarcar do Governo por este motivo. Nilso também convidou simpatizantes do PSB para participarem das reuniões do partido, na última sexta-feira de cada mês na Câmara Municipal de Vereadores, sempre às 20h00min. "Nossas reuniões são abertas e as decisões transparentes". A próxima reunião ocorre no dia 25 de Outubro.
Foto: Augusto Pinz

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Artigo: Uma alternativa para o Brasil

O olhar atento à história recente do Brasil leva à conclusão de que os ciclos políticos coincidem com a ascensão, envelhecimento e substituição dos partidos no poder. A ausência de renovação impõe uma dinâmica de obsolescência das legendas.

Nos anos 1980, o MDB/PMDB foi vetor principal da redemocratização. Uma década depois, o PSDB cumpriu a tarefa de matar a hiperinflação e construir os alicerces da estabilidade econômica. No período seguinte, o PT, apoiado nos pilares da democracia e da estabilidade, pôde comandar um ciclo de inclusão.

Todas essas forças operaram apoiadas nas conquistas das etapas que as precederam, ainda que muitas vezes as tentações da política peçam a negação retórica do passado. Mas essa negação não resiste à análise. Sem 1985 não haveria 1994, e sem 1994 não haveria 2002.

Sem democracia, não haveria como o país superar um impeachment; sem estabilidade, não seria possível distribuir renda.

Toda força política momentaneamente hegemônica sofre a tentação de enxergar-se como o ponto final do bonde da história. Mas é ilusão. Hoje, por exemplo, assistimos ao enorme desejo de que se abra um novo ciclo na política brasileira.

É disso que tratarão as eleições do próximo ano. Como superar a velha política para que o poder possa ser mobilizado na construção do novo, na pavimentação dos caminhos necessários e possíveis para alcançar outro patamar --eis a questão.

Precisamos remover o velho arranjo político, ou nenhuma agenda inovadora será viável.

Cada um por sua própria estrada, o Partido Socialista Brasileiro e a Rede Sustentabilidade vinham tateando em busca do novo.

O PSB, que governa seis Estados e mais de 400 cidades, estava empenhado em construir gestões democráticas, inovadoras e sérias, lutando para valorizar a função primeira do Estado: servir à sociedade. A Rede, procurando compreender e reunir a imensa energia represada nas aspirações dos jovens, nas preocupações com o bem-estar das gerações futuras, na busca obsessiva por uma economia renovada e mais democrática.

Certamente teriam convergido num eventual segundo turno, se as circunstâncias perversas da política brasileira não tivessem antecipado esse desfecho. Quando alguns imaginaram que poderiam represar completamente o rio da história, foram surpreendidos pela água que jorrou das frestas do dique, até derrubá-lo.

Eis por que a convergência entre o PSB e a Rede Sustentabilidade aconteceu com tamanha e surpreendente naturalidade. Porque já eram dois vetores de uma única inquietação: romper com estruturas fossilizadas para abrir caminho ao futuro.

O desenvolvimento sustentável é a releitura contemporânea mais próxima do socialismo democrático.

Dois movimentos políticos que agiam taticamente na defensiva, lutando para sobreviver em terreno desfavorável, notaram que sua aliança transformaria a estratégia em possibilidade de ofensiva.

O Brasil, infelizmente, acostumou-se a debater eleições como se resumissem a pesquisas, tempo de rádio e TV e palanques estaduais. Mas a política é muito mais do que isso. Sua beleza está em trazer para si o debate programático do futuro, sobre como romper as amarras da inércia, e avançar.

Pretendemos contribuir para que o processo eleitoral supere a tentação da mediocridade, para que os eleitores sejam contemplados com uma opção consistente, transparente e sincera, que lance luz sobre deficiências e aponte caminhos para atender as exigências da sociedade.

Como dissemos ao selar nossa aliança, a luta da sociedade brasileira tem alcançado importantes conquistas: a redemocratização, a estabilidade econômica, a redução das desigualdades sociais. A única forma de aprofundá-las é avançar. Por isso, unimos forças para apresentar ao Brasil uma alternativa.

*EDUARDO HENRIQUE ACCIOLY CAMPOS, 48, economista, é governador de Pernambuco desde 2007 e presidente Nacional do PSB desde 2006.

segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Propaganda do PSB, em rádio e tv, começa dia 01/10/2013

O PSB nacional inicia amanhã, dia 1º de outubro, a veiculação dos comerciais de TV e rádio em todo o Brasil. Serão dez inserções de 30 segundos por dia, que também vão ao ar nos dias 3, 5 e 8. O programa partidário de dez minutos será exibido na quinta-feira, dia 10.”

Prezados (as) Companheiros (as) Dirigentes

 
A Comissão Executiva Estadual convocou cinco encontros regionais nos meses de outubro e novembro próximos.  Nesses encontros vamos debater a conjuntura política do partido e as políticas referentes aos movimentos organizados e dos titulares de mandato.
Os Encontros começam dia 05 de outubro, em Porto Alegre, e queremos reunir direções de todas as regiões próximas ( Litoral, Vale dos Sinos, Paranhana, Serra ,Vale do Caí e do Taquari)
Vejam o calendário de nossos encontros e agendem-se:
05 de outubro de 2013  - Sábado  - 09 horas
Porto Alegre – Igreja da Pompéia – Barros Cassal.  200  - Bairro Floresta
19 de outubro de 2013  - Sábado  - 09 horas
Passo fundo
26 de outubro de 2013  - Sábado  - 09 horas
Rosário do Sul
09 de novembro de 2013  - Sábado  - 09 horas
Pelotas
23 de novembro de 2013  - Sábado  - 09 horas
Cruz Alta

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

PDT recusa vaga do PSB no governo gaúcho

O Vice-presidente estadual do PDT, Pompeo De Mattos, foi entrevistado - na manhã desta quarta-feira (25) - no programa Manhã Especial da Rádio Liberdade AM e falou sobre a recusa do PDT a oferta do Governador Tarso Genro de entregar ao partido a Secretaria de Infraestrutura (Seinfra) até então ocupada pelo PSB que entregou os cargos no Governo do Estado. O PDT entendeu por bem não aceitar, pois segundo Pompeo, também deve estar de saída da base do Governo do PT para lançar candidatura própria. "O Vieira da Cunha é o nosso candidato", disse.
Pompeo lembrou que durante encontros regionais do PDT as bases tem optado por lançarem candidatura própria ao governo gaúcho. " E podemos estar junto com o PSB na campanha no estado e quem sabe no país", disse.

EM CANGUÇU
Em Canguçu os dois partidos, PSB e PDT, fazem parte da administração municipal do PT. Nenhum dos dois partidos deve deixar a coligação em um primeiro momento.

Fonte: Canguçu Em Foco

LEIA TAMBÉM:

terça-feira, 24 de setembro de 2013

PSB/RS decide entregar os cargos que ocupa no governo estadual

A Comissão Executiva do PSB/RS decidiu , em reunião na noite dessa segunda-feira (23), entregar todos os cargos de confiança que ocupa no governo do Estado. A decisão  ocorre em alinhamento com a definição do PSB Nacional que, na semana passada, entregou os cargos que ocupava no governo federal.
Os socialistas entendem que o projeto nacional de candidatura própria à presidência da República é a prioridade, portanto aqui no Rio Grande do Sul, o PSB gaúcho poderá buscar novos caminhos para 2014. “A decisão da Executiva Estadual reflete o compromisso do PSB/RS com o projeto nacional. Isso não significa um rompimento com o Governo Tarso Genro nem ruptura com o PT,  mas precisamos ficar livres para tomar nossas decisões para 2014 sem gerar constrangimentos ou sermos constrangidos por estarmos dentro do governo”, disse o presidente estadual da sigla Beto Albuquerque.
Na manhã desta terça-feira (24), o presidente estadual, deputado federal Beto Albuquerque, acompanhado de uma comitiva de deputados e de dirigentes estaduais entregará documento oficializando a decisão.

terça-feira, 10 de setembro de 2013

ARTIGO: O trânsito como política pública permanente*

Os debates em torno da criação de um movimento em escala global iniciaram em Moscou no ano de 2009, quando o estudo sobre trânsito encomendado pela Organização Mundial da Saúde apresentou dados alarmantes, apontando 1,3 milhões de óbitos/ano e um total de feridos entre 20 e 50 milhões – a um custo anual de U$ 518 bilhões. Números de uma verdadeira guerra. A proposta foi levada a ONU que, em março de 2010, instituiu a Década de Ação entre 2011 e 2020.

No Rio Grande do Sul, marcando a data e aderindo ao projeto da ONU, foi designada ao Gabinete Vice-Governador a tarefa de coordenar o órgão então criado, chamado de Comitê Estadual de Mobilização pela Segurança no Trânsito.

O comitê tem, entre seus objetivos, atender a um dos pilares da Década, que diz respeito à gestão do trânsito. Dessa forma, os órgãos institucionais – executivos, rodoviários, de fiscalização, de polícia e representantes de todos os poderes –, estabeleceram um calendário regular de reuniões. O trânsito passou a ter uma referência no centro de governo, algo inédito no Brasil. A sociedade civil também foi chamada ao debate. Hoje, 71 entidades integram o grupo. Destas, mais da metade são representações de ONGs, universidades, área médica e sindicatos.

Fomos adiante. A construção da Política e do Plano Estadual de Segurança no Trânsito conta com a participação direta de todos os envolvidos. Ainda em 2011, realizamos nove conferências regionais preparatórias à 1ª Conferência Estadual sobre Políticas de Segurança no Trânsito, ocorrida em dezembro. O evento contou com a participação de cerca de 300 delegados eleitos nas plenárias regionais, que aprovaram as propostas trabalhadas nas câmaras temáticas. Uma verdadeira revolução na participação do Estado e da sociedade na construção desta política pública.

Ao longo de 2012, percorremos novamente o Estado em 15 seminários regionais, tendo como grandes parceiros os Comandos Regionais da Brigada Militar. Contamos com o envolvimento de 1,5 mil profissionais, entre gestores e fiscalizadores de trânsito da BM, Polícia Rodoviária Federal e Municípios. Debatemos questões sobre legislação, gestão, municipalização, crimes de trânsito e aspectos comportamentais.

Em 2013, será realizada a 2ª Conferência Estadual. Mais uma vez, estamos discutindo e recebendo propostas de todo RS. Os encontros nos 28 Coredes deste ano visam aproximar as comunidades do debate, observando as diferentes realidades regionais. Dessa forma, conhecendo as particularidades de cada recanto do nosso Rio Grande, avançaremos ainda mais, norteados pelo compromisso de promover a mudança de atitude e formar uma nova geração de condutores, passageiros e pedestres, mais conscientes e preparados para o convívio nas estradas e vias urbanas.

Para nós, trânsito é prioridade. Mesmo sendo um processo em fase inicial, já obtivemos uma redução significativa no número de mortes, apontando para o cumprimento da meta estipulada, que é reduzir em 50% as fatalidades até 2020. Estamos tratando de vidas, e vidas não têm preço.

* Publicado na Revista Em Evidência - setembro/2013 de autoria do vice-governador BETO GRILL

Vereador do PSB assume Prefeitura de Dom Feliciano

O presidente da Câmara Municipal de Dom Feliciano, Dalvi Soares de Freitas (PSB), assumiu o cargo de prefeito nesta segunda-feira (9). Ele permanecerá na administração municipal até que o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-RS) defina a data para a eleição do novo prefeito. No dia 19 de setembro, a Justiça Eleitoral vai recalcular o quociente eleitoral para definir os vereadores que assumirão os mandatos. No dia 20 de agosto deste ano, o TRE-RS cassou o mandato do prefeito, Claudio Lesnik, e do vice-prefeito, Ademar Hugo. Dois vereadores e um ex-vereador também perderam os diplomas e os direitos políticos por oito anos. Todos foram condenados por conduta vedada e abuso de poder político devido à realização de audiências públicas em 2012, que teriam prejudicado a campanha do candidato a reeleição no município, o ex-prefeito Clênio Boeira da Silva (PT), de acordo as investigações do Ministério Público Federal (MPF). Além de Dom Feliciano, o PSB administra 18 prefeituras e possui 31 vice-prefeitos em todo o estado do Rio Grande do Sul. 
Com informações do G1/RS.


sexta-feira, 6 de setembro de 2013

Lei dos Conselheiros Tutelares já está em vigor

Foi publicado no Diário Oficial desta sexta-feira, dia 6, a Lei 14.297/2013 que prorroga mandato dos conselheiros tutelares no Rio Grande do Sul. Aprovada por unanimidade na Assembleia Legislativa no dia 13 de agosto, a norma, que já está em vigor, prorroga os mandatos até 10 de janeiro de 2016. Nesta data  ocorrerá a posse daqueles escolhidos no primeiro processo unificado, que acontecerá no dia quatro de outubro de 2015.
“Com isso equilibramos os efeitos da Lei Federal nº 12.696, de 25 de julho de 2012, que alterou de três para quatro anos os mandatos dos conselheiros e conselheiras tutelares em todo o País, bem como unificou o processo de escolha para os referidos cargos em todo território nacional”, explica Miki Breier (PSB).

A projeção de Rodrigo Reis, presidente da Associação dos Conselheiros e Ex-Conselheiros Tutelares do Rio Grande do Sul (Aconturs), é de que em torno de 230 municípios gaúchos sejam beneficiados com a prorrogação dos mandatos, evitando a realização de eleições complementares para preencher mandatos tampões, até a eleição unificada em 2015.
  
O deputado Miki Breier assinala a importância da mobilização dos conselheiros e conselheiras em favor da aprovação e apontou as vantagens da nova lei. “Sabemos que amparados pela nova legislação, os defensores da infância e da juventude terão garantias para seguir o trabalho, sem o fantasma da interrupção dos mandatos, dando sequência às ações e projetos que vêm desenvolvendo. Garantimos mais um avanço em favor das crianças e adolescentes que são, neste caso, os principais beneficiados”, afirma o coordenador da Frente Parlamentar em Defesa da Criança e do Adolescente.

Conheça a Lei: http://www2.al.rs.gov.br/mikibreier/LinkClick.aspx?fileticket=F3NeJ82Sj-4%3d&tabid=5239 

© Agência de Notícias

quinta-feira, 5 de setembro de 2013

João Pedro Grill visita bancada do PSB em Canguçu

O Pré-candidato a deputado pelo PSB, João Pedro Grill - filho do vice-governador Beto Grill, esteve de passagem em Canguçu nesta quinta-feira (05) quando almoçou no município e visitou a bancada do PSB na Câmara Municipal de Vereadores. João Pedro estava indo ao município de Santana da Boa Vista e pretendia ainda ir ao município de Dom Feliciano.

PSB na luta pela construção do Museu da Cultura Pomerana

O Vereador César Silva (PSB) e o Presidente municipal do PSB, Nilso Pinz, entregaram pedido ao assessor do vice-governador Beto Grill, Valter Cosvig, para construção de um Museu da Cultura Pomerana na localidade de Canguçu Velho - 1º distrito de Canguçu. A entrega ocorreu na tarde desta quinta-feira (05) na Câmara Municipal de Vereadores.
Foto: Paulo Ricardo Brito.

segunda-feira, 19 de agosto de 2013

JSB/RS promove seminário de formação política em Pelotas


A série de encontros regionais organizado pela Juventude Socialista Brasileira (JSB-RS) no Estado teve seguimento no último sábado (17), em Pelotas, com o seminário ministrado pelo secretário estadual de Formação Política, Carlos Orling.

O encontro contou a participação de representações de diversos municípios da Zona Sul. Mandatários, secretários de juventude e lideranças estudantis puderam conhecer um pouco mais sobre os partidos políticos no Brasil, suas origens e bandeiras. “É importante que saibamos diferenciar um grupo político do outro. A atual configuração do cenário político nacional apresenta distorções, onde, muitas vezes, o perfil de partido em muito pouco se parece com o seu programa”, esclareceu Orling.

Os vereadores Luis André (Pinheiro Machado), Vítor Paladini (Pelotas) e Everton Clarão (Camaquã) falaram sobre a sua trajetória e sobre a importância da presença da juventude nos parlamentos e sobre as diferentes características de um mandatário que representa o segmento. “Precisamos estar em constante comunicação com a sociedade, usando a forma onde os jovens se mobilizam e discutem hoje em dia: as redes sociais”, disse Everton, ressaltando a necessidade da utilização das plataformas virtuais no exercício da função de vereador.

Após o seminário, o secretário estadual de juventude, João Pedro Grill, coordenou o painel “A voz das ruas”, que debateu as manifestações que vem ocorrendo no Brasil e que tiveram seu auge em junho. “É essencial que saibamos mais e tenhamos posição a respeito dos protestos organizados em todo país nos últimos meses. Os jovens devem ir atrás de informações, debater o tema, para que se possa ter uma noção mais ampla das origens, motivações, características e particularidades das manifestações em cada estado e município”, destacou João Pedro. Participaram como debatedores o secretário-geral da JSB Nacional e presidente do DCE Ufpel, Tony Sechi, e o coordenador-geral do DCE Ufpel, Luis Alexandre Alves.

Este foi o segundo debate de 2013. A JSB/RS realizará, ao todo, cinco encontros regionais. O próximo será na região metropolitana, na segunda quinzena de setembro

segunda-feira, 29 de julho de 2013

Eduardo é o mais bem avaliado entre os Governadores

O governador de Pernambuco e presidente Nacional do PSB, Eduardo Campos, é o governador mais bem avaliado do Brasil. 58% da população pernambucana considera a administração do socialista ótima e boa, como mostra a pesquisa CNI/Ibope divulgada nesta quinta-feira (25).

Esta é a primeira pesquisa de avaliação dos governos estaduais após a onda de protestos que tomou o País. Encomendada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), o Ibope ouviu 7.686 eleitores de 11 estados brasileiros (Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Minas Gerais, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, São Paulo, Rio Grande do Sul e Santa Catarina).

O governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), ficou em segundo lugar com 41% de aprovação. Já o governo do socialista Cid Gomes do Ceará foi avaliado como ótimo e bom por 40% da população, ocupando a terceira posição. O governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB), teve a pior avaliação. Apenas 12% dos cariocas entrevistados consideram o governo Cabral ótimo ou bom.

sexta-feira, 10 de maio de 2013

Líder: desentendimento fez PSB 'estudar outras opções'


O líder do PSB na Câmara, Beto Albuquerque (RS), disse nesta sexta-feira que desentendimentos com o governo da presidente Dilma Rousseff fizeram o partido "estudar outras opções". "O PSB passou por um período de crescimento e, por isso, existe um sentimento dentro do partido de que chegou a hora de trabalhar na nossa candidatura própria", afirmou, numa entrevista para a agência Dow Jones.
Beto Albuquerque afirmou que a legenda experimentou um estágio de "parceria e influência" durante a administração do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Entretanto, na gestão Dilma, a influência da sigla diminuiu, em detrimento do PMDB, que ganhou mais espaço. "A administração Rousseff fez sua escolha. Ela elegeu o PMDB como seu parceiro estratégico e centro político, e isso representa uma mudança." De acordo com o líder do PSB na Câmara, uma decisão final sobre a possível candidatura do governador de Pernambuco e presidente nacional da agremiação, Eduardo Campos, à Presidência da República deve ser tomada em outubro.
Além disso, o PSB discorda de algumas políticas econômicas da presidente, como, por exemplo, o "fracasso" em manter a inflação sob controle. "O governo diz que tem a inflação sob controle, mas não tem controle quando deixa a inflação atingir o teto da meta. A inflação é o veneno mais perigoso para a população mais pobre, ela ameaça os empregos e diminui o poder de compra", disse.
Ele ainda culpou as políticas de curto prazo da gestão federal pelo fraco crescimento da economia. "Não faz bem para o governo continuar oferecendo incentivos tributários de maneira temporária - já foram R$ 315 bilhões até agora - e não conseguir fazer a economia voltar a crescer." Beto Albuquerque disse que o partido é a favor das parcerias público-privadas (PPPs), apesar de ser uma legenda socialista. "O governo precisa criar claras regras para a economia porque nenhum investidor em nenhum lugar do mundo investe sem ter segurança de longo prazo, sem ver um retorno para seu investimento." As informações são da Dow Jones.

segunda-feira, 22 de abril de 2013

Campos defende sistema único de segurança nacional


O governador de Pernambuco Eduardo Campos (PSB), possível candidato à Presidência da República, defendeu nesta segunda-feira a implantação de um sistema único de segurança nacional, a exemplo do que já existe na saúde e na educação, com repasse de recursos fundo a fundo. "A segurança pública vem se tornando um dos temas mais importantes da vida brasileira e é fundamental garantir uma integração entre os três níveis de governo", afirmou ele durante entrega de 129 viaturas à Secretaria de Defesa Social do Estado, em Recife.
"A primeira atitude em relação à segurança pública, que domina de uma maneira geral, é o município dizer que isso é com o Estado, o Estado dizer que isso é um problema nacional e a nação dizer que é com o Estado", observou. Campos prega a necessidade de romper esse ciclo. "Municípios, Estados e a própria União têm se preocupado em fazer esse debate, o que nós não temos ainda é um sistema de financiar a política de segurança de forma tripartite, com políticas fundo a fundo como tem na saúde, com o SUS, e na educação, com o Fundeb", disse. "São investimentos muito vultosos, sobretudo quando se pensa no sistema prisional também, onde temos um grande déficit no Brasil inteiro e os recursos nem sempre são liberados".
"A segurança está entrando na pauta como grande desafio nacional e não tem como dar resposta a isso se não otimizarmos os recursos", frisou. "Os sistemas da educação e saúde podem até ser insuficientes, mas há um sistema que funciona fundo a fundo: os Estados colocam, a União coloca, tira a média, passa para os municípios". Na área da educação, ele exemplificou que Pernambuco passa algo em torno de 1 bilhão para os municípios, para as escolas municipais; a União bota 150 milhões".
Embora tenha dado ênfase ao financiamento, um sistema único de segurança nacional também inclui, segundo ele, a concepção da área - "como funciona, o que é responsabilidade de quem, como vai ser efetivamente a estruturação de um sistema". Frisou que se os municípios não entram para ajudar nas ações básicas - iluminação, cuidar minimamente da urbanização de áreas mais degradadas, trabalho de ação social - não tem como os Estados e a União cumprirem esta função.
O governador reconhece a existência de iniciativas visando a um mecanismo de financiamento da segurança pública. "Algumas no governo Fernando Henrique Cardoso, outras no governo Lula como o Pronasci (Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania) e hoje existe um debate sendo feito pelo ministro (da Justiça) José Eduardo Cardoso", relatou. "Há um desafio aí pela frente, há a necessidade de consolidar esse sistema".

quarta-feira, 17 de abril de 2013

JSB comemora aprovação do Estatuto da Juventude pelo Senado


O secretário Nacional da Juventude Socialista Brasileira (JSB), Bruno da Mata, avaliou como de grande importância a aprovação, nesta terça (16), pelo Senado Federal, do Projeto de Lei 4529/04 – o Estatuto da Juventude. “É extremamente positivo para os jovens do país termos finalmente conseguido garantir uma rede de proteção, após mais de nove anos de trâmite do projeto no Congresso Nacional”, comemorou. “O Estatuto é o reconhecimento do Estado brasileiro a um direito pelo qual lutamos há muitos anos no PSB”.

O Plenário do Senado aprovou o Estatuto da Juventude, com 48 artigos, em votação que se estendeu até quase às 22 horas de ontem, estabelecendo direitos para pessoas de 15 a 29 anos – faixa etária em que se encontram atualmente cerca de 52 milhões de brasileiros. Ele assegura, por exemplo, o acesso à educação, profissionalização, trabalho e renda, além de determinar a obrigatoriedade de o Estado manter programas de expansão do ensino superior, com oferta de bolsas estudos em instituições privadas e financiamento estudantil. 

O Estatuto também remete à União, em articulação com os estados, Distrito Federal e municípios, a promoção de oferta de transporte público urbano subsidiado para os jovens, com prioridade para aqueles em situação de pobreza e vulnerabilidade.

O texto aprovado pelos senadores cria duas estruturas institucionais responsáveis por políticas públicas voltadas aos jovens: a Rede Nacional de Juventude, para fortalecer a interação de organizações formais e não formais de juventude, e o Sistema Nacional de Juventude (Sinajuve), com seus respectivos subsistemas, cuja composição, financiamento e atividades serão regulamentados pelo Executivo.

Bruno da Mata observa, no entanto, que apesar do aspecto positivo da aprovação do Estatuto, o projeto original, que veio da Câmara dos Deputados, perdeu musculatura na passagem pelo Senado. Foi o que aconteceu, por exemplo, com o Sinajufe, que na avaliação da JSB era o tópico principal do Estatuto da Juventude. “Da forma como foi aprovado pelos senadores, o projeto não deixa claro qual o papel de cada ente federativo no Sistema Nacional de Juventude e nem cria fundos para o seu funcionamento”, lamenta. “No texto que saiu da Câmara isso estava muito bem definido, com a delimitação do que era da responsabilidade da União, estados e municípios”.

O secretário Nacional da Juventude Socialista também compara as audiências públicas realizadas por ambas as casas para debater o Estatuto com a sociedade. “A Câmara tomou a iniciativa de realizar uma série de debates públicos, enquanto que o Senado só promoveu duas audiências públicas, o que contribuiu para uma visão mais empobrecida dos senadores sobre o projeto”, avaliou.

Como houve alterações no texto votado pelo Senado, o Projeto de Lei 4529/04 agora retornará à Câmara dos Deputados. Segundo Bruno da Mata, a expectativa é que as regras entrem em vigor ainda neste ano. 

Assessoria de Imprensa do PSB Nacional

quarta-feira, 10 de abril de 2013

Campos diz que não quer a Abin desvirtuando sua função

O governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), mostrou-se preocupado com a revelação, feita pelo jornal O Estado de S. Paulo, de documento sigiloso que confirma que o Gabinete de Segurança Institucional da Presidência (GSI) mobilizou a Agência Brasileira de Inteligência (Abin) para monitorar portuários e sindicatos contrários à Medida Provisória dos Portos, nesta terça-feira, em Porto Alegre. "Não queremos ver a Abin desvirtuando suas funções, invadindo um campo que não é próprio de um trabalho de inteligência no estado democrático de direito", disse durante entrevista coletiva na sede da Federação das Associações Comerciais e de Serviços do Rio Grande do Sul (Federasul), onde fez palestra para empresários. 
Apesar da preocupação, Campos evitou a crítica frontal, alegando que o senador Rodrigo Rollemberg (PSB/DF) pediria esclarecimentos do caso à tarde, em Brasília, para saber ao certo até onde foi o trabalho da Abin. "A primeira nota falava que não tinha nada nessa direção e agora há documentos dizendo que há", observou. "Esse trabalho vai até onde manda a lei que disciplina a Abin?", questionou. "Se for, tudo bem, mas se esse trabalho está indo além das competências da Abin e invadindo o direito de livre organização sindical, de luta dos trabalhadores, aí isso é preocupante", comentou. "Não quero crer que vá até aí, seria uma grande decepção para todos nós se tivesse comprovado esse tipo de transgressão por parte da Abin num governo que nós apoiamos", concluiu.

Do Yahoo Notícias

terça-feira, 9 de abril de 2013

“PSB estará mais ativo em 2014”, avisa Eduardo Campos em Porto Alegre


O governador de Pernambuco e presidente Nacional do PSB, Eduardo Campos, cumpre uma série de agendas políticas em Porto Alegre. O socialista chegou nesta segunda-feira (8) e fica até a terça-feira (9), quando termina os compromissos participando de um painel no Fórum da Liberdade.

A primeira atividade do governador ocorreu na noite desta segunda-feira, quando compareceu à comemoração dos aniversário do deputado federal Beto Albuquerque (PSB), que também celebrou 27 anos de filiação ao partido.
Ramiro Furquim/Sul21 
Recepcionado por gritos de “a juventude já decidiu, é Eduardo presidente do Brasil!”, o governador foi prestigiado por diversas lideranças políticas, como a senadora Ana Amélia Lemos (PP) e o vice-governador gaúcho Beto Grill (PSB). Parlamentares federais e estaduais do PMDB, do PP, do PDT, do PTB, do PSD, do PCdoB e do PSDB compareceram ao ato. O PT não enviou representantes ao evento.

Antes da cerimônia, Eduardo Campos conversou por cerca de meia hora com a imprensa. O governador manteve o tom que sempre tem adotado em suas declarações, recusando-se a negar ou a confirmar de forma contundente uma eventual candidatura sua ao Palácio do Planalto. “Não temos procurado nenhum partido tratando de questão eleitoral em 2014. Temos conversado com diversos militantes políticos. Por alguns tenho sido procurado, outros eu tenho procurado para discutir o Brasil sem ansiedade eleitoral. O país precisa fazer um debate mais político e menos eleitoral, porque o que está em jogo é o futuro da nação”, contemporizou.

Eduardo Campos rebateu, de forma indireta, as críticas que vem recebendo de petistas, que temem que a candidatura do socialista possa roubar votos da presidente Dilma Rousseff no Nordeste. “Não vai se fazer a conquista do direito à cidadania somente pelo direito ao consumo dos bens. É um debate que o Brasil precisa fazer sem a postura de excluir aqueles que colocam sua visão, (como se) aquele virou inimigo porque pode ser candidato. Isso é muito desprovido de conteúdo e de sentimento de brasilidade”, condenou.

Evitando citar partidos políticos ou possíveis aliados para 2014, o governador disse que não deseja “mediocrizar” o debate. “Não vamos mediocrizar o debate discutindo alianças antes de discutir em torno do que queremos nos juntar. Qual o conteúdo da aliança? Ao PSB não interessa um projeto de poder pelo poder, mas um projeto de país, onde o interesse da sociedade seja colocado no centro dessa aliança”, garantiu.

Eduardo Campos afirmou que é o “debate de conteúdo sobre o futuro do Brasil” que vai determinar a posição política do PSB em 2014. Mas já adiantou que o partido não será apenas um coadjuvante. “O PSB estará mais ativo em 2014 do que já esteve em outras eleições nacionais. Faremos uma opção eminentemente política em torno dos nossos sonhos, dos nossos valores, e em busca de um Brasil que quer mudança efetiva”, declarou.

Críticas à política econômica do governo federal pontuaram discurso

Na entrevista à imprensa, o governador de Pernambuco – que, assim como Dilma, é economista – teceu algumas críticas à política econômica do governo federal. Ele condenou a adoção de “ações pontuais” e cobrou a reflexão sobre os problemas do país.

“Precisamos voltar a crescer de forma sadia, dando segurança ao investimento privado e desburocratizando o investimento público”, opinou. Para Eduardo Campos, o Brasil está ficando para trás em termos de construir saídas para a crise econômica.“Estamos vivendo o rescaldo da maior crise do capitalismo mundial, que surgiu pela sanha da irresponsabilidade do capital financeiro em seu centro, nos Estados Unidos, que já cresceram mais do que o Brasil em 2012”, comparou.

Com um discurso que não esconde o tom eleitoral, o governador de Pernambuco destacou as conquistas democráticas, econômicas e sociais das últimas décadas no país, mas afirmou que é preciso dar outros passos. “Dentro deste Brasil que caminhou, tem um outro Brasil que quer muito mais, que quer escola que funcione, saúde que não constranja e segurança pública que não faça o medo estar tão presente”, conclamou.

Numa demonstração de força, Campos fez questão de demarcar seu potencial eleitoral na conversa com a imprensa. “Fui reeleito com 83% dos votos e, na última pesquisa de opinião dos jornais locais em Pernambuco, temos 93% do apoio dos pernambucanos. Isso só se faz quando tem trabalho e responsabilidade”, exaltou.

Campos critica debate sobre democratização da mídia

Questionado sobre a declaração que o governador gaúcho Tarso Genro (PT) deu à Folha de São Paulo, afirmando que uma eventual candidatura de Eduardo Campos à Presidência da República seria um “equívoco tático”, o político pernambucano limitou-se a dizer que conversaria pessoalmente com o petista. “Irei visitar o governador Tarso e terei oportunidade de conversar um pouco sobre esse momento do Brasil. Prefiro falar amanhã sobre essa declaração”, minimizou.

Na entrevista coletiva, Campos disse que não concorda com a visão de Tarso a respeito do debate em torno da democratização dos meios de comunicação no país – que tem pautado as últimas declarações do petista. “Não comungo dessas ideias e não é de hoje. Imagino que quem vai regular a mídia é o leitor. Se sou leitor e entendo que uma mídia é conservadora, preconceituosa e tem um viés atrasado, deixo de ler essa mídia e passo a ler outra que vá ao encontro da minha forma de ver o mundo”, defendeu.

Para o neto do ex-governador pernambucano Miguel Arraes, o debate sobre o tema “cheira à possibilidade de censura”. “Nasci em uma família de perseguidos políticos. Imagine o que é para alguém que teve a formação dentro dessas circunstâncias entender que algo cheira à possibilidade de censura. Precisamos usar o avanço dos meios de comunicação para fazer o exercício do conteúdo que a gente acredita e fazer o debate das ideias”, disse.

Na manhã desta terça-feira, Campos se reúne com o governador Tarso Genro e, em seguida, encontra-se com o prefeito de Porto Alegre, José Fortunati. Após uma palestra na Federasul, no início da tarde, ele se dirige para a Assembleia Legislativa, onde receberá a medalha do Mérito Farroupilha. À noite, participa do painel de encerramento do Fórum da Liberdade.

sábado, 6 de abril de 2013

Eduardo Campos defende o fortalecimento dos municípios


O governador de Pernambuco, Eduardo Campos, reafirmou ontem a necessidade de um novo relacionamento entre União, Estados e municípios para garantir as condições de desenvolvimento do país. Presidente Nacional do PSB, o político pernambucano participou do 57º Congresso Estadual de Municípios de São Paulo, realizado na cidade de Santos (SP), onde defendeu com veemência a importância de um debate franco em torno dos problemas do país, especialmente no momento em que os efeitos da crise financeira internacional são sentidos no Brasil de forma mais intensa e continuada.

"Há que perguntar qual é a pauta que precisamos construir, pensar as próximas gerações sem ranço nem a expectativa de sermos os donos da verdade", afirmou. "As pessoas não querem consumir só uma motocicleta, comprar uma geladeira, ou mais uma televisão. O cidadão também quer uma escola de qualidade para seus filhos e um hospital seguro para cuidar de sua família", frisou. "O Brasil ainda tem mais sonhos e mais direitos que não podem ser negados à população".

Para Campos, o Brasil construiu conquistas importantes nos últimos 30 anos, que agora devem ser consolidadas e aprofundadas: a democracia e a estabilidade econômica. "Só estamos aqui por que conseguimos unir nosso povo em torno de uma causa, assim nossa democracia se criou. Conquistada a democracia, não podemos constranger o debate político", disse Campos. "Estabilizar nossa economia não foi fácil, custou muito ao Brasil. Nem sempre todos os atores acertaram, mas consolidar nossos fundamentos macroeconômicos foi o que permitiu que o Brasil radicalizasse nas políticas voltadas para quem mais precisa, que construísse uma agenda pela igualdade social". O governador de Pernambuco frisou que essas conquistas exigiram mais de duas décadas de esforço e, agora, é preciso avançar. "Vivemos um novo tempo, que precisa de reflexão. É preciso uma nova agenda para o Brasil, pois o mundo está pensando uma  nova agenda".

Eduardo Campos foi recebido de forma calorosa pelos organizadores do evento e pela militância do PSB de São Paulo. Sua palestra foi ouvida por mais de uma centena de pessoas, interessadas em conhecer a experiência que torna o governo de Pernambuco o mais bem avaliado do país.  "Tive o prazer de conviver com o governador na Câmara dos Deputados. Conheço sua firmeza, seu caráter", disse o presidente da Associação Paulista de Municípios, deputado Celso Giglio (PSDB-SP). "Não dá para ter um país forte sem ter municípios fortes. O que temos visto é a mera transferência de responsabilidades pela União, sem o apoio necessário", disse o prefeito de Campinas, o socialista Jonas Donizete. As bancadas federal e estadual do PSB também foram ao encontro do presidente nacional do partido, que visitou Santos acompanhado pelo líder do PSB na Câmara, deputado Beto Albuquerque.

Competitividade e Educação

Em sua palestra, o governador defendeu uma nova compreensão do pacto federativo, à luz do momento que vive o Brasil. Essa percepção, afirmou, envolve não apenas a divisão de responsabilidades, mas também um novo olhar para a gestão e um relacionamento mais respeitoso entre os entes federativos. "Vivemos um tempo em que se tenta desqualificar os prefeitos, como se não houvesse qualidade e capacidade de gestão nas cidades brasileiras", alertou Eduardo Campos. Segundo ele, um novo pacto federativo também deve agregar a oferta de instrumentos e apoio para que os prefeitos possam melhorar e avançar em suas cidades.

Para o governador de Pernambuco, os entes da federação precisam convergir em uma pauta que favoreça a competitividade da economia e que ataque o que ele considera um dos principais gargalos ao desenvolvimento do pais: a educação. "Precisamos de uma pauta  estratégica que recupere nossa competitividade e garanta ao trabalhador condições para melhorar de vida", afirmou. Eduardo Campos também defendeu que União, Estados e municípios encontrem melhor solução para enfrentar os desafios do atendimento à saúde e que haja um esforço para acabar com a burocracia.

Portal PSB

quinta-feira, 28 de março de 2013

Beto Grill (PSB) fala de Obras viárias na Região Sul


Beto, à esquerda. Foto: Claudio Fachel/Palácio Piratini.
O vice-governador Beto Grill anunciou, nesta quarta-feira (27), em entrevista coletiva, na Prefeitura de Rio Grande, a liberação da licitação do trecho que liga o entroncamento da BR-392 até a praia do Cassino. Com custo de R$ 15,1 milhões e extensão de 10 quilômetros, o processo licitatório, aprovado pelo Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer), compreende a execução dos serviços remanescentes (recuperação da rodovia, ciclovia, obras complementares e sinalização vertical e horizontal). Nos próximos dias, o processo deverá seguir para licitação e contratação da empresa executora. 

Grill salientou o grande volume de investimento que vem sendo feito na região Sul na área de infraestrutura, oportunizando o desenvolvimento de forma adequada ao processo de instalação do Polo Naval. “Pretendemos dar celeridade ao processo já que a obra é de grande importância para a comunidade riograndina”. 

Durante a coletiva, o vice-governador anunciou, também, a conclusão do projeto da obra da ERS-734 que liga o entroncamento da BR-392 ao pórtico do município de Rio Grande. "Trata-se de uma obra estratégica para o desenvolvimento local, pois o trecho passa por 11 bairros do município", informou. Em 15 de maio, o Conselho de Administração do Daer avaliará o projeto, devendo, então, proceder com a publicação do edital para licitação. Beto Grill concedeu a coletiva acompanhado do prefeito de Rio Grande, Alexandre Lindenmeyer, e do vice-prefeito Eduardo lawson.

ERS-265 
Uma das antigas reivindicações do vice-governador, o edital para a conclusão dos oito quilômetros restantes da rodovia ERS-265, que liga São Lourenço do Sul a Canguçu, será publicado nesta quinta-feira (28), na modalidade concorrência, no valor de R$ 10 milhões. “Essa obra vem resgatar um compromisso histórico com a comunidade da região”, finalizou Grill.
Texto: Assessoria Vice-governador

terça-feira, 26 de março de 2013

Campos: MP dos portos 'não precisa agredir os Estados'


O governador de Pernambuco e possível adversário de Dilma Rousseff nas eleições de 2014, Eduardo Campos (PSB), reforçou nesta terça-feira que é contra a proposta de os Estados brasileiros perderem a autonomia para fazer licitações nos terminais portuários - tarefa que passaria para a União. Campos falou com jornalistas antes de participar de audiência pública da comissão mista destinada a analisar a medida provisória 595/2012, a MP dos Portos, que propõe um novo marco regulatório para o setor. A ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, também participa da reunião.
O governador afirmou ser favorável a um planejamento nacional que intensifique a concorrência dos portos - que é o propósito da MP dos Portos, segundo o governo federal -, mas que isso não pode ser feito atingindo o pacto federativo. "Não precisa agredir os Estados", disse. Ele defendeu que os Estados já vêm perdendo autonomia nesse setor. "O que restou da autonomia é importante manter."
Campos voltou a dizer que o Porto de Suape é considerado o mais eficiente porto público do Brasil e que a legislação existente deve ser levada em consideração. "Parece um capricho querer tirar a autonomia", afirmou.
Também foram convidados os governadores da Bahia, Jaques Wagner (PT) e do Rio Grande do Sul, Tarso Genro (PT), mas eles enviaram representantes para participar da reunião: o secretário do Planejamento, Gestão e Participação Cidadã do Rio Grande do Sul, João Constantino Motta, e o coordenador executivo de Infraestrutura da Casa Civil da Bahia, Eracy Laffuente. Campos disse que os governadores não discutiram a MP dos Portos (595/2012) antes de ela chegar ao Congresso Nacional. "Não tivemos a oportunidade de fazer um debate prévio sobre a medida", afirmou. Segundo ele, apenas técnicos do Estado participaram de reuniões na Casa Civil.
Recado
Ao chegar para audiência pública, Campos foi questionado sobre o discurso desta segunda-feira (25) da presidente Dilma Rousseff, que cobrou "coalizão" dos aliados do Planalto. Em tom irritado, o governador afirmou: "A Dilma não é mulher de mandar recado, nem eu sou homem de receber recado. Ela não é dada a esse tipo de coisa, nem eu sou dado". O governador participa da audiência juntamente com a ministra da Casa Civil, Gleisi Hoffmann. Os governadores petistas Tarso Genro (RS) e Jaques Wagner (BA) foram convidados, mas não compareceram ao evento.

segunda-feira, 25 de março de 2013

Parceria Nova (Zero Hora-25/03/2013)

Está no jornal Zero Hora desta segunda-feira (25) na página 08:

"Em Brasília, Beto Albuquerque conversou com deputados gaúchos do PMDB para sondar a possibilidade de o partido ser o palanque do presidenciável Eduardo Campos (PSB) no estado (RS). Sem afinidade com o governo Dilma e de olho no apoio do PSB na disputa pelo Piratini, o PMDB gaúcho avisou que está disposto a negociar. Pouco a pouco, o PSB do vice-governador Beto Grill vai se afastando do PT de Tarso Genro".

sexta-feira, 22 de março de 2013

Nominata do Diretório e dos Conselhos do PSB - Eleição de 2013


RELAÇÃO DOS MEMBROS DO DIRETÓRIO MUNICIPAL DO PSB DE CANGUÇU/RS, ELEITOS NO CONGRESSO DO  DIA 16/03/2012, NA CÂMARA MUNICIPAL DE VEREADORES DE CANGUÇU/RS – OSÓRIO, 979 – EDITAL Nº 01/2013 – CONVOCAÇÃO CONGRESSO MUNICIPAL DE ELEIÇÃO DO DIRÉTORIO MUNICIPAL.
TITULARES ORDEM ALFABÉTICA:
01 – ALEX DUARTE WOLTER
02 – AUGUSTO CESAR DA SILVA
03 – AUGUSTO MOREIRA PINZ
04 – ELISEU BASILIO FURTADO DA SILVA
05 – ELISNEI COUTINHO PIRES
06 – EVANI DE FARIAS SARAIVA
07 – GIOVANI CESAR DEMARI BOTESELLE
08 – IVETE DOS SANTOS FARIAS
09 – JESUS SIDNEI BORGES CUNHA
10 – JONAS JARDEL KRUGER BERSCH
11 – JONATA RAFAEL MULLER HARTWIG
12 – JOSÉ ADAHIR SAMPAIO JARDIM
13 – LAURA GICELDA NEITZKE
14 – LAURA STORCH COUTINHO
15 – LESSANDRO ALBRECTH BIERHALS
16 – LUIZ BACKIEL SILVEIRA DE AVILA
17 – MARIA ELAINE DE MORAIS FERREIRA
18 – MARCIA ELISA AMARAL LANGE CANEZ
19 – MÁRIO RENAN IRIBARREN
20 – NELSON BUGS
21 – NILSO PINZ
22 – OTÁVIO GONÇALVES ROCHA
23 -  RICARDO RODRIGUES ROCHA
24 – ROSELHA PIRES DE AVILA.

SUPLENTES:

01 – JOÃO ADEMIR MUNHOZ ROCHA
02 – LASARO NORNBERG KURTH
03 –MARCOS JARDEL AMARAL DE SOUZA
04 – MARA REJANE PEREIRA BOTESELLE
05 – OSMARINA LACERDA SCHIAVON
06 – CORIOLANO LEANDRO ROCHA DA SILVA
07 – ALSIONEI BRAUN BERGMANN
08 – ADEMIR DA ROSA DIAS

RELAÇÃO DOS MEMBROS DO CONSELHO DE ÉTICA, CONSELHO FISCAL E DELEGADOS DO PSB DE CANGUÇU/RS, ELEITOS NO CONGRESSO DO DIA 16/03/2012, NA CÂMARA MUNICIPAL DE VEREADORES DE CANGUÇU/RS – OSÓRIO, 979 – EDITAL Nº 01/2013 – CONVOCAÇÃO CONGRESSO MUNICIPAL DE ELEIÇÃO DO CONSELHO DE ÉTICA, FISCAL E DELEGADOS EM 16/03/2013.

CONSELHO DE ÉTICA:

TITULARES: ANTONIO ROBERTO TAVARES, GILBERTO GARCIA KEMLE E MARCOS EUGÊNIO SIQUEIRA SCHWAB.
SUPLENTES: ALARDISON REIS GOULARTE, ITALO DA ROCHA JARDIM E JORGE BANIEL PIRES DE AVILA.

CONSELHO FISCAL:

TITULARES: BRUNO SCHWARTZ ROPKE, ELISNEI COUTINHO PIRES, JOÃO ADEMIR MUNHOZ DA ROCHA E
SUPLENTES: CATIUSSIA LOUZADA, MARIA CELI LACERDA SCHIAVON E MARA REJANE PEREIRA BOTESSELLE.

DELEGADOS A CONVENÇÃO ESTADUAL:

TITULARES: AUGUSTO CESAR DA SILVA, GIOVANI CESAR DEMARI BOTESELLE E NILSO PINZ
SUPLENTES: ELISNEI COUTINHO PIRES, JOSÉ ADAHIR SAMPAIO JARDIM E LAURA STORCH COUTINHO.

RELAÇÃO DOS MEMBROS DO CONSELHO DA JUVENTUDE, INTERESSES DAS RAÇAS E ETNIAS, MOVIMENTO SINDICAL, POPULARES, MULHERES E PESSOAS PORTADORAS DE NECESSIDADES ESPECIAIS DO PSB DE CANGUÇU/RS, ELEITOS NO CONGRESSO DO DIA 16/03/2012, NA CÂMARA MUNICIPAL DE VEREADORES DE CANGUÇU/RS – OSÓRIO, 979 – EDITAL Nº 01/2013 –


CONSELHO DA JUVENTUDE SOCIALISTA:
GILBERTO HORNKE WOLTER PINZ, ÍTALO DA ROCHA JARDIM, JABES PIRES DA CUNHA

CONSELHO DA MULHER:
MARA REJANE PEREIRA BOTESELLE, MÁRCIA ELISA AMARAL LANGE CANEZ, SARA HAMIDEH MAHMUD GAYER ZABEN

CONSELHO DAS ETNIAS:
ADEMIR DA ROSA DIAS, ANTÔNIO JESUS SOARES, MARIA ELAINE DE MORAIS FERREIRA,
  
CONSELHO MOVIMENTOS POPULARES:
JOÃO  ADEMIR MUNHOZ ROCHA, LUIZ MÁRIO SWENSON DE OLIVEIRA, CORIOLANO LEANDRO ROCHA DA SILVA.

CONSELHO DE DEFESA PORTADORES NECESSIDADES ESPECIAIS
IVETE DOS SANTOS FARIAS, MARCOS EUGÊNIO SIQUEIRA SCHWAB, EVANI FARIAS SARAIVA.

CONSELHO DOS MOVIMENTOS SINDICAIS
AUGUSTO MOREIRA PINZ, GILBERTO GARCIA KEMLE, LAURA STORCH COUTINHO.
,

terça-feira, 19 de março de 2013

PSB DE CANGUÇU REALIZA CONGRESSO



O Partido Socialista Brasileiro - PSB de Canguçu/RS, realizou, no sábado dia 16, no Plenário da Câmara Municipal de Vereadores, seu Congresso Municipal de eleição do Diretório Municipal, Executiva Municipal, Conselhos de Ética, Fiscal, Delegados, Juventude Socialista, Coordenação de Defesa dos Interesses de Raça e Etnia, Movimento Sindical, Movimento Populares, Mulheres, Interesse das Pessoas com Deficiências. O Congresso desenvolveu-se das 09h00min às 11h00min, com uma efetiva participação. Prestigiaram o evento o Deputado Estadual Catarina Paladini, os Presidente locais do PMDB, Jarbas Correa Borges, do PT, Daniel Campos e do PDT, Neviton Nornberg.
A nova executiva municipal será integrada por: Presidente - Nilso Pinz, Vice-Presidente; Giovani Cesar Demari Boteselle, Secretário Geral: José Adahir Sampaio Jardim; Primeiro Secretário: Lessandro Albrecth Bierhals; Segunda Secretária: Laura Storch Coutinho; Primeiro Secretário de Finanças: Nelson Bugs; Segundo Secretário Finanças: Luiz Backiel Silveira de Avila; Secretário de Comunicação Social e Propaganda: Augusto Moreira Pinz; Secretária de Organização: Maria Elaine de Morais de Ferreira e Secretária de Estrutura: Ivete dos Santos Farias.
Segundo o presidente Nilso Pinz o PSB vem demonstrando sua capacidade de organização e crescimento, em pouco mais de um ano de reestruturação está efetivando a eleição de forma democrática e transparente do diretório municipal, executiva, conselhos e segmentos representativos do partido. “Entendemos indispensável a participação dos filiados e da comunidade na tomada de posição e pretendemos ao longo desta administração implementar a criação e instalação de 40 núcleos entre perímetro urbano e rural do município", comenta Nilso. Questionado também acerca da viabilidade de lançamento de candidatura estadual do município proposta por instâncias superiores disse: "Nosso partido a nível local, esta em fase de crescimento e estruturação, mas se necessário o partido não irá se furtar de sua responsabilidade, este tema será um dos debates propostas na primeira reunião do diretório, que ocorrerão sempre na ultima sexta-feira do mês, dependerá da manifestação de interesse, entendendo que temos excelentes nomes que podem disputar a assembléia legislativa".



segunda-feira, 18 de março de 2013

Economia é 'cartão de visita' de Eduardo Campos


O "milagre econômico" de Pernambuco, Estado administrado pelo governador e presidenciável Eduardo Campos (PSB), baseia-se em uma receita heterodoxa, que misturou investimentos públicos e privados, concessão de incentivos fiscais, endividamento e aumento de gastos com pessoal. Como resultado, o Produto Interno Bruto (PIB) local cresceu a taxas maiores que as do Brasil e as do Nordeste.
Entre 2007, primeiro ano do governo Campos, e 2012, o Estado cresceu a uma média anual de 4,6%, enquanto o PIB do País aumentou 3,6%. No ano passado, mesmo com a perda de fôlego da economia brasileira, o crescimento foi de 2,3% - e o nacional de apenas 0,9%. "O Nordeste se beneficiou do modelo de crescimento atual. Nos últimos anos, tivemos um crescimento puxado pelo consumo. Mas o crescimento em Pernambuco decorre também dos investimentos feitos pelo Estado e pelo setor privado", afirmou o economista Alexandre Rands, da Universidade Federal de Pernambuco.
A economia do Estado é hoje o principal cartão de visitas de Campos em seminários e conversas com empresários, nas quais passou a fazer críticas à política econômica de Dilma Rousseff. Na semana passada, ele reuniu-se com representantes do empresariado paulista e exibiu "êxitos" de sua gestão.
Nos últimos anos, Pernambuco se beneficiou da valorização do salário mínimo e dos programas federais de transferência de renda. Entre 2006 e 2012, a arrecadação cresceu acima do PIB: passou de R$ 9,3 bilhões, no último ano de gestão Jarbas Vasconcelos (PMDB), para R$ 25 bilhões.
As decisões políticas sobre investimentos públicos, como as obras de transposição do São Francisco e da Transnordestina e a construção de refinaria da Petrobrás, foram fundamentais para aquecer a economia local. O ex-presidente Lula, que é pernambucano, viu o desenvolvimento do Estado como estratégico e quis criar na região uma vitrine para os investimentos em infraestrutura e em combate à pobreza do seu mandato. Hoje, Campos é uma ameaça ao projeto de hegemonia política dos petistas.
"Estamos em meio a uma mudança estrutural, determinada não só por decisões políticas, mas por favoráveis condições econômicas, tanto já existentes quanto moldadas pelo setor público", afirmou o presidente do Conselho Regional de Economia de Pernambuco, Fernando de Aquino Fonseca Neto.
Os investimentos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) também cresceram, alcançando R$ 2,2 bilhões em 2012 (leia texto abaixo). Nos últimos dois anos, a Petrobrás investiu R$ 24,8 bilhões no Estado.
Os investimentos públicos estaduais também cresceram: passaram de 1,3% para 2,3% do PIB entre 2006 e 2011. "A atuação do setor público também vem sendo fundamental, tanto com investimentos diretos em infraestrutura e financiamentos dos bancos que controla, como com uma eficiente política de incentivos fiscais", completou Fonseca.
Campos se aproximou do empresariado, sinalizando com políticas de interesse do setor. Manteve programa de concessão de incentivos dos anos 90, deu espaço para renúncia fiscal e concedeu terrenos para atrair empresas. Levou fábrica da Fiat, com investimento de cerca de R$ 6 bilhões.
Nos últimos meses, quando intensificou a agenda de presidenciável, ele recebeu empresários e banqueiros do eixo Rio-São Paulo e economistas que trabalharam com FHC e que agora estão no centro de estudos de política econômica Casa das Garças, no Rio.
Dívida. Para bancar projetos, contratou dívida. O porcentual da dívida em relação à Receita Corrente Líquida (RCL), parâmetro de solidez fiscal, passou de 42,45%, em 2008, para 45,75%, em 2012. A perspectiva é que chegue a 2014 em 47% - em 2006, era de 66,59%. Apesar do crescimento, o porcentual está abaixo dos 200% colocados pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).
De acordo com a Secretaria da Fazenda do Estado, a partir de 2014, com a finalização de projetos em andamento, "o crescimento das receitas possibilitará que o nível de endividamento alcance patamares menores".
Pernambuco também aumentou as contratações - 25 mil servidores, entre professores, médicos e policiais - e concedeu aumento real dos salários. Em 2007, o gasto com pessoal era de R$ 3,4 bilhões. Em 2012, atingiu R$ 7 bilhões. O porcentual da despesa com pessoal em relação à RCL cresceu de 41,62% para 45,18% - abaixo do limite de 49% da LRF. A Fazenda destaca que em 2012 houve retração da receita em R$ 1 bilhão, o que resultou no aumento do porcentual.
Fonseca discorda de que a trajetória de aumento das contratações e da dívida coloque em risco a solidez fiscal. "Eu diria até que essa conduta fiscal relativamente expansionista do governo de Pernambuco tem contribuído significativamente para o Estado se manter crescendo acima da média nacional e regional."
O boom econômico se refletiu na área social, mas ainda de maneira tímida. Segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios, por exemplo, em 2006, 38,1% dos domicílios de Pernambuco tinham acesso à rede de esgoto. Em 2011, eram 50,6%, abaixo da média brasileira, de 54,9%. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

sábado, 16 de março de 2013

PSB Canguçu - Novo Diretório

Integrantes do novo diretório do PSB de Canguçu-RS ao lado do deputado estadual Catarina Paladini (PSB) - de camiseta listrada - em encontro que ocorreu no Sábado, dia 16 de Março de 2013.

terça-feira, 12 de março de 2013

Congresso Municipal dia 16

O PSB de Canguçu convida seus filiados para seu congresso (convenção) a realizar-se dia 16 de Março de 2013 nas dependências da Câmara Municipal de Vereadores das 09h00min às 11h00min quando será escolhido o novo presidente e o novo diretório do partido.

quinta-feira, 7 de março de 2013

No mês da Mulher, uma homenagem do PSB Nacional!


Catarina recebe comitiva de Canguçu



Ricardo Rojas - MTE 16498 | PSB - 11:20-07/03/2013
O vice prefeito de Canguçu, Neizinho Bubolz, acompanhado do secretário de Cultura, Turismo, Juventude e Mulheres, Elisnei Pires (PSB), visitou nesta quarta-feira (6) o gabinete do deputado Catarina (PSB) para solicitar apoio do parlamentar no sentido de construir um calendário de atividades culturais paralelas ao aniversário do município. “Vamos trabalhar, inclusive, para inserir Canguçu no calendário oficial de eventos do Rio Grande do Sul”, afirmou Catarina.

Na reunião, a comitiva de Canguçu também solicitou ao deputado ajuda para discutir junto ao governo estadual a necessidade de instalação do Batalhão do Corpo de Bombeiros no município. “Imediatamente já estamos somando esforços com a prefeitura para que a situação seja resolvida o mais rápido possível”, garantiu Catarina. O deputado também se comprometeu, enquanto membro da Comissão de Educação, Cultura, Desporto, Ciência e Tecnologia da Assembleia Legislativa, em contribuir para a valorização do esporte amador em Canguçu.

Miki Breier é aclamado presidente da União de Parlamentares Sul Americanos e do Mercosul


O deputado estadual Miki Breier (PSB) foi aclamado na manhã desta quinta-feira, dia 7, o novo presidente da  União de Parlamentares Sul Americanos e do Mercosul (UMP). A eleição aconteceu em Buenos Aires, na Argentina, onde se realiza até o sábado, dia 9, a reunião da diretoria da entidade. O evento reúne representantes da Argentina, Brasil, Chile, Paraguai e Uruguai.

Conforme o parlamentar, a UPM vai dar prioridade em 2013 ao combate às drogas e ao projeto Mercosul Cidadão, além de dar continuidade às ações nas áreas de preservação dos recursos hídricos e da ligação bioceânica, bem como a valorização do legislador regional e sua importância no Parlamento do Mercosul. Os parlamentares estaduais de toda a América Latina vem atuando para garantir assento no Parlasul.

“Também queremos trabalhar na unificação da legislação de trânsito, que é um problema que afeta a logística e o turismo dos nossos países”, acrescenta. Segundo Miki, é preciso atuar não só pelo livre comércio, mas também pela cidadania. “Queremos um Mercosul cidadão e, para isso, é preciso envolver as pessoas nesse processo”, diz.

Também participam do evento os deputados gaúchos Raul Carrion (PCdoB), Frederico Antunes (PP), Álvaro Boessio (PMDB), Jurandir Maciel (PTB), Alexandre Postal (PMDB) e Gilberto Capoani (PMDB).

Parlamentares da UPM definem ações para 2013
Segundo o diretor de articulação política da UPM e coordenador do Bloco Brasileiro, Flávio Monteiro, a reunião em Buenos Aires vai estabelecer, ainda, o calendário de atividades para este ano. Já está confirmada a realização pelo Fórum de Preservação e Uso Racional do Rio Uruguai e de evento em Colom, Província de Entre Rios, Argentina, dias 21 e 22 deste mês. Também está programado o lançamento do Fórum Mercosul Cidadão para agosto, em Chapecó, Santa Catarina.
Preocupados com a grande incidência de tráfico e uso de drogas, os legisladores da UPM vão definir ações conjuntas e políticas públicas integradas para regiões de fronteira dos países do Mercosul.

A União de Parlamentares Sul Americanos e do Mercosul (UPM), criada em 1999, reúne todos os legisladores regionais dos países membros do Mercosul: Argentina, Brasil, Paraguai, Uruguai, Chile e Venezuela.
© Agência de Notícias AL-RS

terça-feira, 5 de março de 2013

Campos lamenta morte de Chavez


O presidente nacional do PSB e governador de Pernambuco, Eduardo Campos, divulgou nota na noite desta terça-feira lamentando a morte do presidente venezuelano Hugo Chávez. "Quero expressar o meu pesar pelo falecimento do presidente Chávez e manifestar a minha solidariedade ao povo da Venezuela", afirma o comunicado.
Para Campos, agora é preciso respeitar os "valores democráticos" na sucessão de Chávez. "Quero também afirmar os votos de que no processo sucessório sejam respeitados os valores democráticos, garantindo paz e liberdade para todos os venezuelanos", completa o texto.

Do yahoo