Coragem para Mudar o Brasil

Coragem para Mudar o Brasil

quinta-feira, 21 de agosto de 2014

Nota Oficial da Comissão Executiva Nacional do PSB

Comissão Executiva Nacional
Nota oficial

A trágica partida de Eduardo Campos coloca para a Comissão Executiva Nacional (CEN) do Partido Socialista Brasileiro a responsabilidade política de decisões necessárias e urgentes, com o objetivo de retomarmos o processo político-eleitoral.

Nesse sentido, a CEN reuniu-se nesta data, em sua sede, em Brasília (DF), para deliberar sobre a nova composição de Chapa com que concorrerá à Presidência da República, nas eleições de outubro.

A Comissão Executiva avaliou como correta e consequente a indicação de Marina Silva, que aceitou o convite para encabeçar a Chapa como candidata do PSB e nela o partido deposita esperança de vitória eleitoral.

A Comissão entendeu ser politicamente justa a escolha do candidato para o cargo de vice na Chapa, indicando para tanto o deputado Beto Albuquerque.

A presente Chapa será agora levada para referendo dos demais partidos que compõem a Coligação ‘Unidos pelo Brasil”, a saber PPS, PPL, PHS, PSL, PRP e Rede Sustentabilidade, em encontro oficial amanhã.

‘Não vamos desistir do Brasil’.

Brasília- DF, 20 de agosto de 2014.               

Roberto Amaral
Presidente do Partido Socialista Brasil

terça-feira, 19 de agosto de 2014

Beto Albuquerque deixa disputa ao senado e vai ser Vice na chapa de Marina Silva

Beto Albuquerque será o candidato a vice-presidente na chapa de Marina Silva. O deputado gaúcho (PSB-RS) deixa a candidatura ao Senado. Beto era o líder do PSB na Câmara Federal e aliado próximo de Eduardo Campos. 

Em nota divulgada na noite desta terça-feira, o PSB confirmou a indicação do líder da bancada na Câmara dos Deputados, Beto Albuquerque (RS).No documento, assinado pelo presidente da sigla, Roberto Amaral, o partido informa que a chapa será sacramentada em reunião da Executiva Nacional amanhã, às 15h, em sua sede, em Brasília.

Amaral disse que a viúva de Eduardo Campos, Renata Campos, foi consultada sobre a possibilidade de ser a vice de Marina Silva, mas ela declinou do convite porque além de ter "compromissos familiares", ela precisa dedicar seus primeiros esforços para eleger Paulo Câmara ao governo de Pernambuco. Segundo a nota, a vitória de Câmara era um sonho que Eduardo "sempre sonhou". O presidente da sigla esteve reunido durante todo o dia em Recife com dirigentes do PSB pernambucano e hoje ouviu a cúpula do partido sobre a composição da candidatura.

No último dia 13, quando soube da morte de Eduardo Campos, o então candidato ao Senado e um dos principais líderes do PSB no Rio Grande do Sul, Beto Albuquerque, chorou. Albuquerque estava em evento da Federasul quando foi informado da tragédia. "Não acredito", disse.

Para Beto, Eduardo Campos era uma das mais importantes lideranças políticas do País.

Conheça a trajetória política de Beto Albuquerque

Beto Albuquerque nasceu no dia 6 de janeiro de 1963, em Passo Fundo (RS), é filho de Telmo Lopes de Albuquerque e Vanir Teresinha Turra de Albuquerque. Casado com Daniela, tem quatro filhos, Rafael, Pietro (in memorian), Nina e Luca.

Foi na Universidade Federal de Passo Fundo que Beto iniciou sua militância política presidindo o Diretório Acadêmico América Latina Livre, de 1984 a 1985, e o Diretório Central de Estudantes, em 1986. Dirigiu a Associação Passo-fundense de Defesa do Consumidor (Apadecon), de 1987 a 1990, e a Juventude Franciscana no Estado. Foi membro fundador do Movimento de Justiça e Direitos Humanos na região de Passo Fundo.

Em 1988, ele tentou uma vaga na Câmara Municipal de Passo Fundo. Acabou como o candidato a vereador mais votados, mas não se elegeu por causa da legenda. Em 1990, concorreu pela primeira vez a deputado estadual no Rio Grande do Sul pelo Partido Socialista Brasileiro (PSB). Acabou eleito como o terceiro deputado mais votado pela aliança Frente Popular. Em 1994, reelegeu-se para a Assembleia Legislativa e, em 1998, chegou à Câmara dos Deputados.

No mesmo ano, convidado pelo governador Olívio Dutra, exerceu o cargo de secretário Estadual dos Transportes. Em 2002, foi reeleito para mais um mandato na Câmara dos Deputados. Convidado pelo presidente Lula, tornou-se vice-líder do governo federal na Câmara dos Deputados em 2003, cargo no qual permaneceu até o final do mandato do presidente.

Em 2010, Beto Albuquerque foi reeleito para o quarto mandato consecutivo, com 200.476 votos. Convidado por Tarso Genro, se licenciou para assumir a Secretaria de Infraestrutura e Logística do Rio Grande do Sul, função que exerceu até dezembro de 2012, quando reassumiu seu mandato na Câmara dos Deputados.

Em janeiro de 2013, Beto foi eleito por aclamação líder do PSB na Câmara dos Deputados. Em março foi conduzido à presidência do PSB no Rio Grande do Sul. Em 2014, Albuquerque foi reconduzido à liderança do PSB na Câmara dos Deputados.

quarta-feira, 13 de agosto de 2014

Nota Oficial do PSB Nacional sobre a morte de Eduardo Campos (PSB)


No dia em que são passados nove anos do falecimento de Miguel Arraes, o Partido Socialista Brasileiro cumpre o doloroso dever de comunicar o falecimento, nesta data, vítima de acidente aéreo, do seu presidente, ex-governador de Pernambuco, Eduardo Campos, nosso candidato à Presidência da República.

Aos 49 anos recém completados, Eduardo Campos vivia o auge de sua brilhante carreira política: deputado estadual, secretario de Estado de Pernambuco, deputado federal, ministro de Estado, governador de Pernambuco reeleito por consagradora maioria, oferecia sua experiência e juventude ao serviço do País.

Candidato à Presidência da República, apresentou-se ao debate de nossas questões fundamentais, coerente com os princípios que sempre nortearem sua vida, e o primeiro deles era a busca por justiça social, razão de existência do Partido Socialista Brasileiro.

Perdemos Eduardo Campos quando mais o Brasil precisava de seu patriotismo, seu desprendimento, seu destemor e sua competência.

Não é só Pernambuco e sua gente que perdem seu líder; não é só o PSB que perde seu líder. É o Brasil que perde um jovem e promissor estadista.

Estamos todos de luto.


Brasília, 13 de agosto de 2014.


Roberto Amaral 
Primeiro vice-presidente do Partido Socialista Brasileiro